Hello world

Hoje fez frio o dia inteiro.

E logo isso pra mim, significou que estive o dia inteiro presa ao meu telhado… não sai de casa por nada.  No âmbito dessa empreitada comecei a ver umas coisas na televisão.. os desastres do mundo, as belezas do mundo, as pessoas do mundo. E aí percebi que a mim faltava algo: o mundo!

Nesse momento, como de súbito, tive que ir pra fora dos domínios em que me encontrava. Me faltava algo, como se aos pulmões faltasse o ar.

Olhei pro céu…estava de um cinza fantástico e oscilante, e me pus a pensar como poderia ter me esquecido (mesmo sabendo que nunca verdadeiramente houvesse aprendido e vivido aquilo) do mundo, do vento, da dificuldade, das coisas simples da vida.

E assim pude imaginar como um presidiário vê o céu pela primeira vez após a prisão…..e isso pra mim nada mais foi do que poder sentir o mais puro sentimento de demonstração da vida–  vida esta que me pus a pensar – vista esta que poderia ser definida como a vida de alguém que não tem motivos pra se realmente pensar, se preocupar. Vida de alguém que apenas vive – e dentro de mim vinham questões como: como estou vivendo? Essa é a vida que pensei pra mim? Sou quem gostaria de ser? E  desse pensar foi me vindo, e e me vindo…..”será que o primeiro ser como nós, The Huuuuman beings” parou por algum minuto pra pensar no que fazia e se surpreendeu ao reconhecer em si a presença de um pensar?… Fiquei a imaginar a cara dele.

Será que ele teve algum tipo de consciência de que ele mesmo passava por aquilo.. ou será que ele nunca se obteve a esse detalhe?

Ou será que pensar sempre foi como hoje… ou como dirigir um carro depois de 30 anos… um pensar sub-existente, pareado a algo comum e que aos poucos  tornou o mundo como o que temos presentemente.

O mundo fruto do pensamento de alguém. Sim, eu sei que isso se chama Cultura. Tudo que vivemos hoje veio do pensamento de alguém ao ponto que esse pensamento se tornou tão único, incontestável e verdadeiro que se tornou um hábito, um costume,  o modo de se viver a vida., pelo menos eu acho que foi assim.

E ainda há gente que pensa que do pensamento não sai o querer, que a frase somos o que pensamos ( e para alguns comemos) é balela.

E assim fiquei igual tonta olhando o céu e pensando na vida.

E o ponto que realmente marcou isso foi constatar que eu tive que me lembrar do mundo lá fora da minha casa pra vir poder a pensar (e ainda conseqüentemente) em mim….por que é tão difícil pensarmos em nós mesmos? Por que há tanta dificuldade no pensar? E as pessoas que nunca pensam nelas mesmas? E as pessoas que nunca realmente pensam em nada. Sim, parece idiota, prematuro e inocente se pensar que existem pessoas alheia às suas próprias vidas. Não me refiro a pensar em qual roupa escolher, o que seria o mais apropriado para responder ao chefe sobre aquela proposta. Isso é pensamento cotidiano… não que não seja importante.. mas poxa vida… há mais além disso.

Eu sei que eu tendo a viajar muito e sempre.

Quando paro pra pensar não consigo me prender as coisas atuais, de simples cotidiano porém importantes somente. Gostaria….mas entre uma pergunta complexa ou impossível de ser respondida é quase automático o que me vem: o que fazemos eu e você nesse mundo tão grande e louco?? Porque você é você e não eu? Porque você nasceu no Brasil e não no Cazaquistão? Sim, besta, seus pais são brasileiros (ou não), mas porque você é do pais que é?? hahaha…

Porque não temos uma resposta para tudo isso? Bem, muita gente tem, ou acredita ter,  eu  digo abertamente que  não sou uma dessas pessoas.

Quando penso sobre o assunto me vem antes de tudo um frio grande na barriga. Aí, logo de cara começo a pensar no mundo, com suas pessoas de infinitas caras, pensamentos, medos e tatuagens (isso porque parece que todo mundo hoje aparenta ter uma tatuagem) Aí me vem o céu…(de novo) caraca.. você já ficou a olhar ao céu e se perguntar quem é você, e o que faz aqui? Sério: faça, mas tem que ser um bem estrelado, pra que você tenha a mesma sensação que eu, a de que vai ser engolido a qualquer momento… é algo assim como ver o mar….a primeira vezzzz… hahaha

Enfim…brincadeiras à parte, fico a pensar nisso tudo e me vem uma mistura de emoção, confusão e medo.

E no fim me foge uma resposta e uma escuridão toma conta de mim por um momento. Seria legal ter a certeza de que eu sou eu agora, com essa cara e com essa cidadania e família e amigos e gostos e gordurinhas porque isso – tudo isso-  faz parte de um plano maior e que eu sou simples e maravilhosamente  um grão pequeno mas importante e singular no grande oceano da vida… isso seria muito bonito, gostaria realmente de poder acreditar nisso de todo coração…..porém não me satisfaz…

E deste modo fico pensando no nada, partindo para outro parágrafo, porém ainda sem respostas para os primeiros.

Assim me conformo e novamente como inúmeras vezes antes, com facilidade continuo a vida.

Mas eu juro que tentei…eu já li a Biblia, eu li Darwin, eu li o Hawkins e seu maravilhoso livro , A origem do Universo, estava gostando bastante até que chegou a hora das ondas… e aí como sou péssima em Física, (como alguém pode ser naturalmente bom em algo e outra pessoa não?) eis que não pude prosseguir na busca incessante., pra saber talvez uma pista, sobre o que fazemos nós aqui afinal. E esses meus últimos dizeres fazem com que eu chegue a outras perguntas.

Porque nós temos desejos diferentes? Dons diferentes? Pensamentos diferentes? Eu sei, eu sei.. isso já está enchendo o saco. Sim , tentarei partir para algumas respostas.

Aliás como o Homem pode ser tão bom em dar respostas? Desde pequenos se alguém já n os olha torto, já temos uma resposta na ponta da lingua… e se não temos uma é facil, inventamos uma!

Será que é porque já que viemos de uma pergunta sem resposta pelo menos nas outras coisas tentamos  nos saír bem??

Falando em perguntas não há como não cairmos nas perguntas clássicas…..não; Não estamos falando de ser ou não ser, ou quem nasceu primeiro o ovo ou a galinha… mas coisas do tipo: E o fim da miséria? E a cura do câncer? Bom, nós sabemos o porque da miséria existir,  os médicos e cientistas sabem de alguma forma o que ocorre com as células, o que poderia ser feito, qual remédio é mais indicado, que no futuro pode-se explorar determinadas áreas. Mas no fundo no fundo só não sabem o principal: porque? Será que essa foi uma forma encontrada pelo cosmo, por Deus, pela vida, para que morrêssemos? Porque causar tanto sofrimento nas vitimas e familiares? E Amigos? O porque de existir coisas desse tipo?

Que nem sobre a origem das espécies, a diversidade das espécies, a evolução das espécies….. as artimanhas de todas as guerras, a escravidão….  por que de tudo isso??

Porque não sabemos ainda hoje nessa sociedade considerada moderna e avançada explicar porque os políticos roubam, porque as pessoas matam, porque somos ruins às vezes e sentimos inveja do carro novo, importado e brilhante do vizinho?

Bom, talvez essa ultima questão seja fácil, oras porque é novo, importado e brilhante… mas porque inveja? E não alegria? E não outros sentimentos?

Por que o dinheiro e o poder é capaz de dominar pessoas? Por que alguns são felizes e tem sorte? Por que????

E assim fico ainda mais presa às perguntas.

E assim eu fracasso novamente na tentativa de se chegar um pouco perto de alguma resposta.

Eu mesmo sem ter nenhuma, mesmo sem poder explicar o porque de haver câncer, raiva e políticos, acabei por achar talvez uma resposta particular a minha própria vida, pelo menos a de agora:

A vida só faz sentido, só tem explicação ali dentro… ali, no fundo de nós.  Se você analisar a vida um pouco, tirando a humanidade e a complexidade que nos cerca, e se resumindo no seu eu individual, acho que pode a vir a concordar comigo que o que vale é o que você tem ai dentro de você.

Não estou falando nada a respeito de você ou eu ser especial, mas sim do mundo que tens aí dentro, cheio de pessoas, de buscas, de medos, de histórias, experiências, pontos de vista….. um mundo, um infinito construído desde o seu nascer.

E acredito que talvez seja essa uma das razões para a  vida ser tão especial e mágica. Porque ela se resume ao que vemos nós, ao que sentimos nós, ao que sonhamos nós! Cada um de nós com seus mundos inexplorados e inatingíveis na maioria das vezes aos outros. Cada um de nós com seus mundos em transição e troca. Eu mesclando agora o meu mundo com o seu. Voce dividindo o seu com os seus amigos, amores e afins…e o seu mundo  refletindo no mundo externo e vice-versa.

E desta forma as respostas de quem somos, o que fazemos não se fazem cruciais para se terminar de percorrer a caminhada da vida.. porque somos ao decorrer  dela de alguma forma elucidados, passamos a viver e viver é aquela coisa, não precisa de respostas.. simplesmente se sente, se vê, se cresce.

Tem um escritor que se chama Affonso Sant”Anna que escreveu uma coisa  que realmente concordo também sobre o fato de estarmos procurando sempre por respostas.

Ele diz meio que numa moral da história que a vida não se resume às respostas mas sim às perguntas….

E eu concordo que além disso não há tempo para se perguntar o que somos porque  talvez por criação, talvez por vazio, somos voltados a pensar que devemos nos preocupar com o quem somos e o que seremos. ……

E em meio a desafios e desafios, diários e ininterruptos SOMOS. Pura e simplesmente somos.  Nesse ciclo de pensamentos e paradoxos vamos indo, gerações e gerações, até que o fim chegue para nós, ou para o mundo.

E acho que é por isso que venho cá a escrever.. acho uma tristeza a morte. Sempre sinto e vejo que quando alguém morre um mundo inteiro se vai com a pessoa.

E seria justo que algumas pessoas passem na Terra desapercebidas, como vultos em meio ao Thriller de Michael? Não , não é justo. Por isso.. peço a você que comece a desvendar ao mundo o seu mundo…..

Depois de todo esse blablabla… a musica do dia! = D

Trecho legal  da letra:.

Only you know how
To hear me through the silence
You reach a part of me that no one else can see
Forever true there’s only me and only you
Only me and you

– Música recomendada para:  observar coisas grandes

– Legal ouvir em/no:  casa.

– Algo interessante sobre a música/banda:

Trilha sonora desse filme… mto gracioso, para uma tarde fria e despretensiosa.

Até outro dia Santo!!!!

Publicado em julho 5, 2011, em Cultura, Música. Adicione o link aos favoritos. Comentários desativados em Hello world.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: