Vazio tão cheio…a agonia da falta de não ter

E ahe?
A música de hoje é para aqueles dias que nos sentimos vazios e estranhos… quando a nossa vida é apenas mais uma..parecida com tantas outras. Não que isso não seja verdadeiro, no sentido que as vidas diferem pouco uma das outras….. mas o fato mesmo contraditório, é que nossa vida é unica! ^^ohhh

É pra aquele dia em que todos temos um pouco de Madalena.

No TSD  de hoje: Madalena – Unidade Imaginária

Trecho legal da letra:

Madalena não entende, esse vazio tão cheio,
A agonia da falta de não ter
E ela não sente, não entende o seu presente,
Não quer aquilo que não pode escolher

No fim de semana quando ela sai, ela procura coisas novas
Novas drogas, novos homens, pra tentar se fazer sentir
E quando já é de manhã, e ela volta pra casa
Não há nada além de lágrimas, não há palavras pra exprimir
Então ela chora, chora e tenta entender o que acontece,
Mas Madalena não entende, não entende, não

Música recomendada para:

Levar a vida despretensiosamente, mas com um fundo de verdade, foco e busca….

– Legal ouvir em/no:

Eu gosto de cantar e ouvir essa música tomando banho hehe… por ela ser leve, e a letra ser legal

-Sobre a música/banda:

Em matemática, a unidade imaginária (i) é uma solução da equação x2 + 1 = 0.

Mas nesse caso, = P é a banda mesmo…

Eu curto a voz da vocal ao mesmo tempo que é forte é doce.

Enfim.. pra quem curtiu fica a dica! = ) 

O que gosto muito dessa música é a letra… e meuuu, de novo digo e repito digo e repito digo e repito.. hahah eu acho que todo mundo um dia na vida já se sentiu como madalena, ou agiu como ela. = / e isso dá todo o charme na música…porque ela tem que representar, num eh verdade?? hihi

Bom… eu pra não deixar isso aqui sem poesia, texto… enfim…vou ter que apelar por hj e colocar um texto meu mesmo! Não conseguia achar nada na web falar web é bizarro hehee que eu gostasse.

Até outro dia santo!

“O mundo de um só, tão vazio e estranho
Nem simples, nem pequeno
Como a sua solidão
Gira, gira e ainda assim não vira
Permanece inatingível às coisas eternas
Dentro dele não há flores
Mas por fora,  não faltam lágrimas
E assim esse mundo se molha, se mancha
Se desmancha e se desbota
E antes de tentar entender, foge num instante
Se perde num sentimento de outrora
E o coração não parece bater 
O sorriso nunca aparece
As janelas estão sempre fechadas
O mundo de um só
Eternamente”

Publicado em agosto 16, 2011, em Filosofando, Música, Poesia, Uncategorized e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: