Arquivos do Blog

We sure are cute for two ugly people

Oie pra você que já ficou bobo por amor ^^

No TSD de hoje uma música muiiiito bobinha… mas tão fofa hehe

The Moldy Peaches – Anyone else but you

Trecho legal da letra:

You’re a part time lover and a full time friend
The monkey on you’re back is the latest trend
I don’t see what anyone can see, in anyone else
But you

I kiss you on the brain in the shadow of a train
I kiss you all starry eyed, my body’s swinging from
side to side
I don’t see what anyone can see, in anyone else
But you

Here is the church and here is the steeple
We sure are cute for two ugly people
I don’t see what anyone can see, in anyone else
But you

The pebbles forgive me, the trees forgive me
So why can’t, you forgive me?
I don’t see what anyone can see, in anyone else
But you

Música recomendada para:

Viver um amor bobo, mas doce. E tbm tem cara de música que se canta para nenem dormir..

– Legal ouvir em/no:

Antes de dormir… . ou ainda em Mostra de Talentos, ou qualquer viagem pra praia. = )

-Sobre a música/banda:

Essa música ficou famosa no filme Juno… numa cena muito fofa que os dois personagens principais cantam.

Eu não tive a oportunidade de assistir ainda esse filme… mas dizem que é muito legal… e mesmo que tivessem dito o contrário eu veria..porque pra um filme ter uma musica bobinha e bonitinha dessa, não pode ser um mau filme = D

E assim vou me despedindo.. mas antes um texto da Clarice sobre essas coisas .. de ser bobo e tudo o mais  ^^

Beijos e hastaaaa

Das Vantagens de ser Bobo

 O bobo, por não se ocupar com ambições, tem tempo para ver, ouvir e tocar o mundo. O bobo é capaz de ficar sentado quase sem se mexer por duas horas. Se perguntado por que não faz alguma coisa, responde: “Estou fazendo. Estou pensando.”

Ser bobo às vezes oferece um mundo de saída porque os espertos só se lembram de sair por meio da esperteza, e o bobo tem originalidade, espontaneamente lhe vem a idéia.
O bobo tem oportunidade de ver coisas que os espertos não vêem. Os espertos estão sempre tão atentos às espertezas alheias que se descontraem diante dos bobos, e estes os vêem como simples pessoas humanas. O bobo ganha utilidade e sabedoria para viver. O bobo nunca parece ter tido vez. No entanto, muitas vezes, o bobo é um Dostoievski.
Há desvantagem, obviamente. Uma boba, por exemplo, confiou na palavra de um desconhecido para a compra de um ar refrigerado de segunda mão: ele disse que o aparelho era novo, praticamente sem uso porque se mudara para a Gávea onde é fresco. Vai a boba e compra o aparelho sem vê-lo sequer. Resultado: não funciona. Chamado um técnico, a opinião deste era de que o aparelho estava tão estragado que o conserto seria caríssimo: mais valia comprar outro. Mas, em contrapartida, a vantagem de ser bobo é ter boa-fé, não desconfiar, e portanto estar tranqüilo. Enquanto o esperto não dorme à noite com medo de ser ludibriado. O esperto vence com úlcera no estômago. O bobo não percebe que venceu.
Aviso: não confundir bobos com burros. Desvantagem: pode receber uma punhalada de quem menos espera. É uma das tristezas que o bobo não prevê. César terminou dizendo a célebre frase: “Até tu, Brutus?”
Bobo não reclama. Em compensação, como exclama!
Os bobos, com todas as suas palhaçadas, devem estar todos no céu. Se Cristo tivesse sido esperto não teria morrido na cruz.
O bobo é sempre tão simpático que há espertos que se fazem passar por bobos. Ser bobo é uma criatividade e, como toda criação, é difícil. Por isso é que os espertos não conseguem passar por bobos. Os espertos ganham dos outros. Em compensação os bobos ganham a vida. Bem-aventurados os bobos porque sabem sem que ninguém desconfie. Aliás não se importam que saibam que eles sabem.
Há lugares que facilitam mais as pessoas serem bobas (não confundir bobo com burro, com tolo, com fútil). Minas Gerais, por exemplo, facilita ser bobo. Ah, quantos perdem por não nascer em Minas!
Bobo é Chagall, que põe vaca no espaço, voando por cima das casas. É quase impossível evitar excesso de amor que o bobo provoca. É que só o bobo é capaz de excesso de amor. E só o amor faz o bobo.

Clarice Lispector

Thought it could have been something else

Salut!!

E ahe?

Tudo em paz na sua vida? Hope so.

No TSD de hoje a banda francesa Phoenix: #Lisztomania

Trecho legal da letra:

So sentimental, not sentimental no
Romantic not disgusting yet
Darling, I’m down and lonely when with the fortunate only
I’ve been looking for something else
These days it comes, it comes, it comes,
it comes, it comes and goes

Música recomendada para:

Manooo… essa música é muiiiito dançante, e pra variar tem cara mesmo de viagem, de conhecer lugares novos… museus, restaurantes… bares! Ai! hahahahha

– Legal ouvir em/no:

Mochilão pra Europa… meu, essa música me passa uma imagem de modernidade européia, hahahah… de liberdade, de trens indo e vindo hahahhaa…. de motocicleta e roupas tunadas  em vielas antigas……….

É isso essa música pra mim tem cara de uma Europa Jovem.

-Sobre a música/banda:

Essa música chama Lisztomania em homenagem ao Grande pianista alemão  Franz Liszt… Lisztomania porque parece que quando o cara tocava era aqueleeeee frenesi! = ) 

Se vc não conhece Liszt, embora provavelmente tenha o ouvido.. nem que seja no Tom e Jerry, = ) saiba que ele foi um dos maiores pianistas de todos os tempos,  sendo considerado um dos pianistas mais avançados de sua idade, tecnicamente falando…

Fazendo uma análise da letra da música a impressão que me deu ao fazer uma relação com o nome Lisztomania é que a música fala como se alguém da relação estivesse criticando a frieza do outro….  como se houvesse entre eles um gostar, mas não houvesse  um frenesi….como se vivessem num relacionamento que eles esperam que cresça, que está no fim mas que também não há nenhuma mobilização…. mas essa é só a minha impressão hahahha 

“Let’s go slowly discouraged, we’ll burn the pictures instead
When it’s all over we can barely discuss
For one minute only, not with the fortunate only
Thought it could have been something else
These days it comes, it comes, it comes, it comes, it comes and goes”
Vamos lentamente desanimados,vamos queimar as fotos como alternativa
Quando tudo acabou mal podemos discutir
Por apenas um minuto, não só com a sorte
Pensei que  tudo pudesse ter sido algo mais
Estes dias vem, vem, vem, vem, vem, e vão

…E assim vamos nos indo por hj!

Hasta la vista….

PS1: Moral da história não deixem que os relacionamentos percam o frenesi hahahaha

PS2: Segue minha musiquinha preferida do Liszt pra quem não o conhece #ficaadica:

I never thought I’d come to this

E ai bicho?

No TSD de hoje…. uma das coisas mais fucking DAHORA de all around this fucking globe que eu já pude ver feito nos anos 70!

Se vc não assistiu Jesus Christ Superstar – versão original QUE DÓ – eu tenho quase certeza que vc vai querer ver depois de ouvir essa música. 

I dont know how to love him – cantada por Yvonne Eliman – trilha original do filme (1973)!

-Trecho legal  da letra:

I don’t know how to love him
What to do, how to move him
I’ve been changed, yes really changed
In these past few days
When I’ve seen myself
I seem like someone else
I don’t know how to take thisI don’t see why he moves me
He’s a man
He’s just a man
And I’ve had so many
Men before
In very many ways
He’s just one moreShould I bring him down
Should I scream and shout
Should I speak of love
Let my feelings out?
I never thought I’d come to this
What’s it all about?
– Música recomendada para:
Viver um pouco daquela energia diferente e inegavelmente encantadora dos anos 70

– Legal ouvir em/no:

Principalmente assistindo o filme.. pqp que filme dahora!

-Sobre a música/banda:

Eu sei…. eu to aqui falando do filme.. falando do filme e SIM isso é um blog de MÚSICA – mas o caso é que esse filme é um musical hahahaha  HÁ – tá explicado!

O filme é a história de Jesus Cristo -há que novidade essa história hahahaha –  porém de uma maneira mto dahora.. embora vc já saiba o final –  é surpreendente a maneira como ele é feito!

PS: Vale muito a pena a briga entre Jesus e Judas….os caras arrasaaaaaaaaam!

Eu sou suspeita em falar, mais pelo fato de tê-lo assistido ainda menina… e aquilo ter ficado na minha mente como algo mágico…foi incrivel depois de crescida assistir novamente e me identificar ainda mais – principalmente com a qualidade musical

Uma frase que eu achei interessante sobre o filme que eu ri na hora que li:

“Egyptians Had Awesome pyramids
Greeks a……nd Romans had huge coliseums
early Europeans had incredible Cathedrals and Churches
But That is Nothing Because 21 century Western Man Has…
The Disco!”

Bom, caros amigos do TSD, fica definitivamente a dica!

Carpe Ominem

Termino com um trecho que curto de Romanos 12:  “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”

Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as

E mais um dia Santo.. e como vai você?

Trecho legal  da letra:

 And if you took to me
Like a gull takes to the wind,
Well, I’d’ve jumped from my tree
And I’d’ve danced like the king of the eyesores
And the rest of our lives would’ve fared well”
 
E se você se entregasse a mim
Como uma gaivota se entrega ao vento
Bem, eu teria descido da minha árvore
E dançaria como o rei dos repugnantes
E o resto das nossas vidas seguiria bem
 

– Música recomendada para:

Essa música pra mim tem cheiro, gosto de dia frioooo…de tempo que corre devagar e de luz no fim do túnel.. mas essa música é meio recomendada para momentos deprê

– Legal ouvir em/no:

Pra ouvir no carro, fazendo atividades da casa… e andando na garoa pra comprar aquele pão quentinho…mas num sei, sinto tristeza nela.

-Algo interessante sobre a música/banda:

A banda disse que eles escreveram essa música num período em que queriam sair de sua cidade natal,  trabalho, relacionamento e vida… assim é uma música de mudanças neh?

Vale a pena curtir a versão com participação de Iron&Wine!!! #ficaadica

Fica a dica tbm para o filme no qual essa música se tornou famosinha Garden State… eu gostei até!

Antes de terminar.. um texto que horas é do Bial, horas da Clarice Lispector…mas que de fato pertence ao escritor Edson Marques (obrigada pela visita e esclarecimento) que é meio obvio e simples às vezes… mas bonito!

Mude.
Mas comece devagar, porque a direção é mais importante que a velocidade.
Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente,
observando com atenção os lugares por onde você passa.
Tome outros ônibus.
Mude por uns tempos o estilo das roupas.
Dê os teus sapatos velhos. Procure andar descalço
alguns dias.
Tire uma tarde inteira pra passear livremente na praia, ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.
Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda.
Durma do outro lado da cama…depois, procure dormir em outras camas.
Assista a outros programas de TV, compre outros jornais… leia outros livros.
Viva outros romances. 
Não faça do hábito um estilo de vida.
Ame a novidade.
Durma mais tarde. Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes,
novos temperos, novas cores, novas delícias.
Tente o novo todo dia, o novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo
jeito, o novo prazer, o novo amor, a nova vida.
Tente.
Busque novos amigos.
Tente novos amores.
Faça novas relações.
Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida, compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado… outra marca de sabonete, outro creme dental…
tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores
Vá passear em outros lugares.
Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas,
troque de carro, compre novos óculos, escrevas outras poesias.
Jogue fora os velhos relógios,
quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco.
Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros, visite novos museus.
Mude.
Lembre-se que a vida é uma só.
E pense seriamente em arrumar um novo emprego,
uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais
prazeroso, mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre,
invente-as.
Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa,
longa, se possível sem destino. 
Experimente coisas novas.
Troque novamente.
Mude, de novo.
Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores
e coisas piores do que as já conhecidas. 
Mas não é isso o que importa. 
O mais importante é a mudança, o movimento, o
dinamismo, a energia.
Só o que está morto não muda…

HASTA

 

Gonna rise up, find my direction magnetically

Hello..

Bem?

Hoje vendo o sorteio da Copa.. nossa que vontade  de viajar, se sentir cidadã do mundo novamente.

Acredito que não tenha pelo menos pra mim, nada tão maravilhoso quanto viajar!

E por isso que a música de hoje, além de ser BELISSIMA está relacionada ao grande filme Into the wild, pra quem não assistiu #ficaadica

Trecho legal  da letra:

Such is the way of the world
You can never know
Just where to put all your faith
And how will it grow

Gonna rise up
Bringing back holes and dark memories
Gonna rise up
Turning mistakes into gold

 

– Música recomendada para:

Caminhadas, natureza…. deitar no gramado ai ai = )

– Legal ouvir em/no:

Momentos em que se busca a liberdade, o retorno àquilo que um dia fomos.. e mtas quantas vezes esquecemos

-Algo interessante sobre a música/banda:

Bom.. não teria como essa música não ser boa…porque afinal o cara é Pearl Jam neh meu??? ^^

Finalizando esse TSD de hoje um trechinho do Almyr Klink que fala sobre “viajar”

Saudações e até outro santo dia!

“Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir e ver”.

It melts in the sun like a life without love

Saudações

O TSD de hoje surge com uma música mtooo antiga, mas que curto bastante…e que nunca vi tocar em nenhuuum lugar, nem nunca vi ninguém falar que curte…#medo

…embora tenha cara de modinha hahahhaha

Without you – Silverchair

Trecho legal  da letra:

Miles Away
There’s hopeless smiles brighter than mine
And I need for you to come and go
Without the truth falling out.

Old incisions refusing to stay
Like sun through the trees on a cloudy day

You brighten my life like a polystyrene hat
But it melts in the sun like a life without love
And I’ve waited for you so I’ll keep holding on
Without You

– Música recomendada para:

fazer aquele remember das coisas boas da sua vida…. e pensar que sempre existe alguem sofrendo por amor all around this fucking globe = )

– Legal ouvir em/no:

Andando na rua

-Sobre a música/banda:

Bom.. num tenho muito a comentar sobre essa música.. não sei de nada interessante sobre ela, a não ser que ela preenche um lugar legal entre as minhas músicas. Já sobre a banda.. quem não se lembra do Cláaaaaaaaaassico Miss you love – música essa tbm que desde que foi tema de Malhação fez a trilha de mtos casaisinhos adolescentes ^^

Mantendo esse climinha leve no ar, termino esse TSD de hoje, a espera mais uma vez do TSD de amanhã! Termino tbm com um textinho que escrevi no período que curtia essas músicas aí, sobre como identificar o amor ^^ ohhhh…

Ahhh a juventude…

Ahhh esses textos bobinhos que escrevíamos quando jovens, em nossos diários com chavinha hahahaha

Ahhhh essa vergonha alheia quando o encontramos e relemos hahahahah

beijo beijo e hasta

“Às vezes não sabemos o que sentimos, porque nunca sentimos antes.
Devemos sempre buscar dentro de nós alguma resposta.
Tentar agir sempre sem temer o que os outros pensarão, sendo confiante na hora de encarar o sentimento nos olhos….
E isso deverá ser tudo o que desejas, encontrar aquele sentimento de novo.
Não pensear no que fazer, no que dizer… tudo será natural como respirar – que é natural e indispensável…. assim espere que lhe seja o amor.
Quando o encontrar não pensarás em mais ninguém.. não pensarás em quem magoaste, em quem um dia já te magoou.
Não haverá no seu coração buracos, e não haverá dor na cicatrização… a partir daí ele não vazará mais ao ser preenchido e poderá finalmente bater com toda a força, sem receio… sem dor. 
E desta forma saberás como seguir.. saberás que a hora chegou.”

Tuesday is so slow

Olá olá

Tudo bem?

Parece que depois da chatice intríseca  à segunda, vem a terça devagar e devagar….

A quarta na maioria das vezes me é um dia cheio, e meio chato –  no qual  se tem que começar a dar um gás  nas coisas porque o fim da semana está vindo..e normalmente repleto de esperança e coisas boas… = )

Como já diria The cure naquela música MARA :

“Monday’s blue
Tuesday’s grey and Wednesday too
Thursday I don’t care about you
It’s Friday I’m in love”

E assim por ser terça,  um dos motivos pelo qual escolhi essa música para o TSD de hoje, ela é uma música leve, agradavel e pra mim atemporal (ressaltando que é de 1967)…

Eu concordo bastante com o comment de um crítico que a incluiu num livro chamado “Rock n Roll the 100 best singles:  “

“I was going to say this is a song about sex, and it is, but its also song about youth and growing up, and memories, and it’s also — very much and very wonderfully — a song about singing.”

Trecho legal  da letra:

“So hard to find my way
Now that I’m all on my own
I saw you just the other day
My, you have grown

Cast my memory back there Lord
Sometimes I’m overcome thinkin’ ‘bout it
Makin’ love in the green grass…behind the stadium – Im with you!” 

Nessa música eu curto ter meus olhos castanhos = )

– Música recomendada para:

fazer aquele bolo no café da tarde, dias ensolarados, viagens em família.. dançar de meia pela sala e CANTAR!

– Legal ouvir em/no:

em casa de maneira despretensiosa, comendo brigadeiro de colher! = D

-Sobre a música/banda:

Como eu tinha comentado lá em cima, essa música é de 1967, e nesse ano a música foi censurada na seguinte parte “making love in the green grass….” haha bizarro, não é?,    considerado na época extremamente picante para ser tocado nas rádios, sendo substituída pela frase “laughin’ and a-runnin’, hey hey”.

O que eles diriam do “sou foda” uh? hehe

Essa música embora não tão conhecida pela maioria de nós jovens, ainda mais tanto tempo depois ganhou mtos e mtos prêmios… e diz minha mãe ficou conhecida na cena legal em que a Julia Roberts aparece dançando ao som dela, no filme Dormindo com o inimigo.

Bom.. por hoje me voy! Até amanhã!

PS: Com relação ao trecho “so hard to find my way” termino com uma frase do escritor americano Robert Frost:

“Duas estradas separavam-se em uma floresta, e eu / Eu escolhi a menos percorrida, / E isto fez toda a diferença”.

Hope there’s someone

Há!

Bem?

Hope so!

Nesse TSD de hoje planejava colocar algo assim ao estilo “Brasil de ser” sim ia ser algo clichê... tudo pq vencemos ontem no jogo muy tenso contra o Equador… e tbm pq tava uma linda lua na minha janela… e esse clima tomou um pouco conta de mim…..MAS

mas….                    fiquei ouvindo umas músiquinhas que descobri em blogs por ai sobre o dia do Rock e talz = ) ….e aí deitada na cama, sob a luz da cidade, e entre as várias músicas,  me começa uma música diferente e meu olho se esbugalha.

Sério… não sei o que senti quando a comecei ouvi-la. Era um pouco assustadora, era ESTRANHISSIIIIIIIIIIMA, e dava medo…. mas era linda!!!

Vou entender se vc nunca mais voltar ao TSD de hoje depois de ouvi-la… hauhauhauahuahuah mas não tive como não postá-la.

Ai hj decidi fazer um teste aqui em casa.. e a primeira manifestação de todos ao ouvir era o tal “olho esbugalhado”, e em seguida queriam ver quem cantava hehehe e o cara que canta é no MINIMO estranho hahahhaha ^^

Trecho legal  da letra:

Hope there’s someone
Who’ll take care of me
When I die, will I goHope there’s someone
Who’ll set my heart free
Nice to hold when I’m tired

There’s a ghost on the horizon
When I go to bed
How can I fall asleep at night
How will I rest my head

Oh I’m scared of the middle place
Between light and nowhere
I don’t want to be the one
Left in there, left in there

– Música recomendada para: trilha sonora de filmes… e para refletir na vida, e para assustar leitores! = D

– Legal ouvir em/no: ai….no tal filme! ^^

 Algo interessante sobre a música/banda:

Na verdade eu to enchendo o saco hahaha, mas essa música já faz parte da trilha sonora de um filme chamado A vida secreta das palavras que tbm parece estranho hahahhahaha

Pra mim ao ouvir a letra e a música (que diz ainda mais claramente) fica obvio a msg da morte… mas num é uma morte ao estilo Emo de ser. É algo assim mais do pensamento humano… é o medo que sentimos, é a força que precisamos…é a solidão do momento.

Eu sei que isso é um tanto polêmico, e que normalmente é um assunto que evitamos falar.. e é claro, quem quer morrer? Ok ok… mta gente tinha no passado a idéia da morte de maneiras variadas à maioria… vejamos ai como exemplo, os poetas Românticos.

O fato é que a morte foi ganhando ao longo do tempo diferentes significados. Lembro-me de um documentário da BBC em que se mostrava num trecho de como nossos ancestrais lidavam com ela. E não lidavam hehe, quando alguém morria, se enterrava e era isso.

E hoje temos a morte cheia de simbologias, de sentimentos… e isso veio na medida eu acho que tomamos consciência da vida e de sua magnitude. = ) Por que não há tempo que volte amorrrrrr, vamos viver tudo que há pra viver!

Bom, por fim.. o nome do filme me lembrou um poema que li recentemente, e assim terminamos esse TSD de hoje!

Até outro dia santo menos esquisito hahahaha

O Limpa-palavras
Limpo palavras.
Recolho-as à noite, por todo o lado:
a palavra bosque, a palavra casa, a palavra flor.
Trato delas durante o dia
enquanto sonho acordado.
A palavra solidão faz-me companhia.
Quase todas as palavras
precisam de ser limpas e acariciadas:
a palavra céu, a palavra nuvem, a palavra mar.
Algumas têm mesmo de ser lavadas,
é preciso raspar-lhes a sujidade dos dias
e do mau uso.
Muitas chegam doentes,
outras simplesmente gastas, estafadas,
dobradas pelo peso das coisas
que trazem às costas.
A palavra pedra pesa como uma pedra.
A palavra rosa espalha o perfume no ar.
A palavra árvore tem folhas, ramos altos.
Podes descansar à sombra dela.
A palavra gato espeta as unhas no tapete.
A palavra pássaro abre as asas para voar.
A palavra coração não pára de bater.
Ouve-se a palavra canção.
A palavra vento levanta os papéis no ar e
é preciso fechá-la na arrecadação.
No fim de tudo voltam os olhos para a luz
e vão para longe,
leves palavras voadoras
sem nada que as prenda à terra,
outra vez nascidas pela minha mão:
a palavra estrela, a palavra ilha, a palavra pão.
A palavra obrigado agradece-me.
As outras não.
A palavra adeus despede-se.
As outras já lá vão, belas palavras lisas
e lavadas como seixos do rio:
a palavra ciúme, a palavra raiva, a palavra frio.
Vão à procura de quem as queira dizer,
de mais palavras e de novos sentidos.
Basta estenderes a mão
para apanhares a palavra barco ou a palavra amor.
Limpo palavras.
A palavra búzio, a palavra lua, a palavra palavra.
Recolho-as à noite, trato delas durante o dia.
A palavra fogão cozinha o meu jantar.
A palavra brisa refresca-me.
A palavra solidão faz-me companhia.
 Álvaro Magalhaes